Olá.

Quero hoje deixar uma mensagem a todos aqueles que sofrem com a perda recente de alguém, principalmente aos que perderam um filho.

Na minha última passagem pela Terra não cheguei a ter filhos, mas desde que retornei para este plano tenho trabalhado no auxílio daqueles que, como eu, partiram muito jovens. Estou, portanto, muito próximo também de seus pais e sei muito bem do que estou falando, do desespero e da tristeza que se abate sobre toda a família nestas horas.

 

A primeira idéia que quero transmitir e que creio será de algum conforto, é que “a morte não é uma punição”, porque ela simplesmente não existe.

Eu, que “morri” de acidente de carro ao lado de meu irmão, custei a entender o que havia acontecido. Pensava estar ainda “vivo”, pois não senti absolutamente nada, nada de dor, de desconforto ou qualquer outra coisa.

Como podia estar “morto”? Foi duro de acreditar... Difícil mesmo era a tarefa dos meus amigos e benfeitores espirituais, que tentavam a todo custo me tirar da cabeça a idéia de voltar para casa.
 

Mesmo assim, dias depois do acidente finalmente consegui ir até minha casa. Estava tudo como antes, inclusive eu mesmo. Mas, fui completamente ignorado por todos, como se eu não estivesse realmente ali.

Mas pude, como nunca, “sentir” a tristeza que minha mãe carregava em seu coração e pude “ver” e “rever”, como num filme, meu próprio enterro gravado na mente dela. Foi aí que a “ficha caiu”.

Aquilo contagiou-me de tal forma que fiquei bastante perturbado mas, graças a Deus, meus amigos e benfeitores estavam a meu lado e ajudaram-me a retornar para minha nova casa.

Foi no caminho de volta, já completamente ciente da minha nova situação, que comecei a reparar em “coisas” e “pessoas” diferentes de tudo o que eu havia visto antes.

 

Deixo aqui outra lição, esta fundamental aos pais que ficaram na Terra:

Mesmo chegando por aqui sem dores e sem maiores sustos, a dificuldade de adaptação com os “novos sentidos” é grande, pois, de uma hora para outra, passamos a ter a capacidade de “captar” as vibrações daqueles a quem amamos e que se ligam em nós pelo pensamento. Isto cria uma "baita" confusão na cabeça da gente e por isso precisamos de muita paz nesta hora.

Portanto, apesar da dor, é preciso ter fé que a separação é momentânea e que Deus é, na verdade o arquiteto da situação e não nos desampara nunca.

É muito importante que os recém-desencarnados recebam de vocês todo o apoio através do pensamento positivo de Amor e confiança no futuro, até que a bênção do tempo recoloque as coisas no lugar. 

 

Não se desesperem em buscar a qualquer custo mensagens e provas de que eles continuam vivos, porque isto só piora as coisas, principalmente para quem está do lado de cá . Por que querer provas de algo que deveria estar em seus corações?

 

Vamos em frente, auxiliando nossos amigos recém-chegados de uma breve passagem pela vida terrena.
Agradeço a oportunidade e deixo minhas saudações ao querido amigo que novamente me recebe (estou sempre com você).

 

Abraços.

 

Rodrigo.